Essas dicas têm ajudado muitos candidatos a passar em concursos.

Conhecer a banca organizadora do concurso proporciona mais preparação ao candidato.

Quase todos os concurseiros pesquisam ou desenvolvem diversas técnicas para conseguir a aprovação. Como organizar o melhor plano de estudos. Como acertar o maior número de questões.

Buscam também materiais e cursos preparatórios que os ajudem a aprender o conteúdo e conseguir memorizar as principais informações de cada tópico descrito no edital.

No entanto, muitas vezes, ficam muito preocupados com a quantidade de disciplinas para estudar que não se atentam para o perfil da banca que aplicará a prova.

Conhecer o perfil da banca ajuda a entender não só a estrutura das questões, mas também estar ciente de como você será avaliado. Isso evita surpresas e te deixa preparado para as diferentes modalidades de perguntas.

Imagino que você esteja agora se perguntando como fazer isso.

Bem, para levantar estas informações apresento duas dicas importantes.

1. Ler o edital com atenção.

O edital traz mais informações do que a data e local da prova e o valor da inscrição. Nele estão presentes os conteúdos que serão cobrados. Se há matéria específica para o cargo. O número de questões. O peso de cada disciplina e se há nota mínima. Se há prova dissertativa (redação ou questões discursivas). Se há prova prática. Apresenta os critérios de desempate. Cor da caneta.

E, principalmente, a modalidade das questões e se cada erro anula um acerto.

Parece exagero, mas não é. Muitos candidatos não conseguem êxito no concurso porque não leram com atenção o edital.

Então, não caia nessa.

Esteja ciente de que estas informações são tão importantes quanto saber os conteúdos. Porque saber sobre a banca, ajuda, por exemplo, a montar um plano de estudos eficiente.

 

Saiba como organizar um cronograma de estudos eficiente para concursos.

 

Além disso, diminui as chances de você cometer erros, já que conhece todos os detalhes do desafio que irá enfrentar.

 

2. Resolver o máximo de provas anteriores que puder.

 

Com a prática constante, você conseguirá identificar o padrão das principais bancas em relação ao estilo das questões e como os conteúdos são cobrados.

Por exemplo, três editais de bancas diferentes que exigem o mesmo tópico, dificilmente o conteúdo será aplicado da mesma forma. Uma banca poderá exigir de forma mais objetiva, outra mais complexa. Poderá aparecer relacionado ao trecho de um autor que trata daquele assunto ou ainda em uma questão discursiva.

Por isso, não vale só dominar todos os tópicos descritos no edital, mas sim, saber como eles serão cobrados. Visto que, por exemplo, algumas bancas cobram quase que integralmente os conteúdos listados no edital.

No entanto, se você tem um cargo definido e sabe qual banca aplicará a prova, pode usar a mesma prática. Resolver o máximo de questões do mesmo cargo e da mesma banca para identificar o padrão.

Se você notou que a banca usa o “uma errada anula uma certa”, treine essa característica. Durante a preparação, faça alguma marcação diferente naquelas questões que você não tem certeza absoluta.

Assim, quando conferir com o gabarito, conseguirá saber quais questões de quais matérias você acertaria “no chute” ou “parece ser a mais adequada” e quais precisa estudar mais.

Outro ponto importante é pesquisar quais e porque foram anuladas questões daquela banca nos últimos concursos. Novamente, você estará mais preparado para possíveis pegadinhas.

 

Características das principais bancas organizadoras de concursos.

 

FCC: Esta banca costuma cobrar todos os itens do edital em questões extensas, porém, objetivas, de múltipla escolha. São comuns questões do tipo “marque a incorreta”, portanto, muita atenção ao enunciado.

Cespe: Fique atento ao edital, porque esta banca costuma trabalhar com “uma errada anula uma certa”.

Durante a prova, atenção às pegadinhas. É comum aparecer algumas palavras como “sempre” e “exclusivamente” que alteram o sentido e consequentemente, confundem o candidato.

 

Esaf:As provas dessa banca são complexas e por isso o candidato deve estar bem preparado.  Não costuma cobrar todos os itens do edital, portanto, é importante estudar pelas provas anteriores.

As questões possuem 5 alternativas e, normalmente, três são médias ou fáceis e duas muito difíceis parecendo ser corretas.

 

FGV: Considerada uma das mais temidas, junto com Cespe e Esaf, as provas da FGV costumam variar de acordo com cargo e disciplinas. Neste caso, a leitura atenta do edital te ajudará a identificar os tópicos exigidos em cada matéria.

Costuma apresentar enunciados grandes e textos longos.

 

Vunesp: Esta banca elabora provas com questões de múltipla escolha e leva a fama de ser mais acessível. No entanto, tem aumentado o grau de exigência nos últimos anos.

Costuma solicitar do candidato questões corretas e incorretas, então, novamente, atenção ao enunciado.

 

Atenção, as bancas podem mudar, então não deixe de acompanhar o edital e as últimas provas aplicadas.

Espero que este conteúdo seja útil para você.

 

por Claudio Oliveira

_relacionados

Copyright @2017 Kultivi Produção e Edição de Conteúdo Ltda - CNPJ: 28.186.806/0001-35 - Contato: contato@kultivi.com

Copyright @2017 Kultivi Produção e Edição de Conteúdo Ltda
CNPJ: 28.186.806/0001-35
Contato: contato@kultivi.com