A questão que fez os professores de Matemática quebrarem a cabeça

Enunciado de pergunta do Enem 2017 levava estudantes a chegarem em resposta que não constava nas alternativas oferecidas

Uma questão de Matemática da prova deste domingo do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) provocou controvérsia entre professores da disciplina. A pergunta de número 157, da versão Rosa da prova, trouxe um enunciado que conduzia a uma interpretação que não dava nenhuma resposta correta.

Questão 157 - Prova Rosa do Enem

Trata-se de uma pergunta sobre análise combinatória, na qual estudantes precisavam buscar a quantidade de combinações diferentes possíveis de colorir a logomarca da Copa do Mundo de 2014. O “grande problema”, segundo Robby Cardoso, supervisor de Matemática do Anglo Vestibulares, foi uma frase específica do enunciado. Ao escrever “considere que o comitê organizador resolvesse utilizar todas as cores da bandeira nacional”, a prova do Enem levava o aluno a partir do princípio que as quatro cores (verde, amarelo, azul e branco) precisavam necessariamente estar na imagem.

Nesse caso, a resposta correta seria 600, que não consta de nenhuma das alternativas disponibilizadas no caderno de questões. O jeito de chegar a resposta que os professores entendem que estará no gabarito do Enem, a letra “E” – 972, seria levar em conta que as áreas próximas não poderiam repetir cores, mas desconsiderar da conta a inclusão obrigatória de todas.

“Seguindo à risca o que está escrito no enunciado, eu precisaria usar as quatro cores. Nesse caso, o exercício fica bem mais difícil de resolver e não tem resposta nas alternativas”, explica o professor. O supervisor de Matemática do Anglo contou a VEJA que o curso consultou os responsáveis pela área de Português e a avaliação foi unânime: o enunciado do Enem conduzia à interpretação incorreta.

Mesmo assim, observam, não é habitual do exame federal a anulação de questões – e, portanto, muito provavelmente ela será mantida apesar desse aspecto da formulação. O professor Robby Cardoso considera que o prejudicado será o bom aluno: “A grande maioria dos alunos não deve ter problema. Quem vai ficar incomodado é o bom aluno, o estudante criterioso que percebeu esse detalhe”.

Resolução Anglo Matemática

No geral, os professores do Anglo Vestibulares consideraram que o Enem “subiu de nível”. De caráter mais técnico, a prova deste domingo favoreceu quem estava mais bem preparado, com questões que cobravam conteúdo para além da interpretação.

Os docentes atribuem a mudança a um aspecto prático do exame: a prova não serve mais para os estudantes que pretendem obter o diploma do Ensino Médio. Assim, concentrado principalmente em selecionar universitários para as instituições federais, o Enem “sobe a régua” da cobrança de conteúdo.

 

Fonte: VEJA

http://veja.abril.com.br/educacao/a-questao-que-fez-os-professores-de-matematica-quebrarem-a-cabeca/

_relacionados

Copyright @2017 Kultivi Produção e Edição de Conteúdo Ltda - CNPJ: 28.186.806/0001-35 - Contato: contato@kultivi.com

Copyright @2017 Kultivi Produção e Edição de Conteúdo Ltda
CNPJ: 28.186.806/0001-35
Contato: contato@kultivi.com